Quem sou eu

Minha foto
E aí meus transantes?! Me chamo Vanessa Costa, mas conhecida como Vanne Costa. Estudante de sexologia, apaixonada pelo mundo do sexo. Exibicionista, e amo escrever contos eróticos. Preta, gorda, mulher feminista e empoderada sim!

quinta-feira, 14 de maio de 2020

No dos Outros

Fiz esse poema
Pois não é um problema
Dando dicas pra tu
De como dar o cu

Se você for tímido
Serei mais formal
Pois não a nada de mal
Em querer anal

Importante ser paciente
E estar ciente
Pra não ficar na mágoa
Lubrificante à base d'água

Faz devagarinho
Com carinho
Vai com calma, seu moço
Não estamos furando um poço

É só relaxar
Deixar acostumar
Pode ir sem medo
Algumas vezes até com o dedo

E pare de ser preconceituoso
Pode ser até gostoso
E pode até ser óbvio
Mas trate o cu da pessoa, como se fosse o seu próprio.

terça-feira, 24 de março de 2020

Uma tarde que deixou marcas.

Marcamos as quatro da tarde de uma quente quinta-feira. 29 anos de muita gana, muita sede de novidades e muito orgulho de ser quem é. Vou chama-lo de Albert.
 Entrei no carro, e lá estava ele com toda a sua timidez e sem camisa. Conversamos bastante até chegarmos no motel.
 Chegamos, subimos, tirei a blusa e exibi meu lindo sutiã amarelo. Nos beijamos muito,  que boca maravilhosa. Enquanto nos beijavamos ele acariciava a minha buceta com muita vontade me deixando louca. O deitei na cama, peguei a minha bolsa tirei o lenço e amarrei suas mãos, com uma caneta comestível desenhei um coração no seu peitoral e disse: Vou fazer um coração pra gente fingir que se ama.
Rimos juntos!  Minha cara de puta safada é inegável.  Sai de casa determinada: Hoje eu quero chupar um pau até cansar. Fiz o boquete mais incrível que pude. Acho que ele curtiu. Eu também curti. Preciso dizer que ele tem uma lingua maravilhosa.
 Foi uma experiência nova, um momento novo que com certeza vai ficar na caixinha de boas transas. Um homem muito divertido e determinado, cheio de vontades que com certeza não sabe lidar com o " mesmo". Uma essência aventureira, era isso que ele me passava naquele momento, ele é do tipo que nasceu para realizar coisas grandes e vai atrás disso, admirável! Não é do tipo que se prende a nada, é do tipo que fica por que quer e faz se quiser também. 
Um homem de bons costumes,  é capaz de trair mas não aceita seu próprio ato de traição. Ele é daqueles raros, muito mais coração doque razão. Mas seu corpo, ah o corpo... Esse sim o trai o tempo inteiro,  como todo bom homem ele não resiste aos prazeres da carne. O que com certeza vale muito mais do que qualquer obra de arte francesa.
 O que eu aprendi?  Bem aprendi que o amor próprio aqui está transbordando. Não fiz sexo só com ele, fiz comigo mesma. Me admirava em cada espelho daquele quarto,  adorava me olhar enquanto o chupava, admirava a mim mesma quando deitava na cama pelo espelho do teto. Um chupão no pescoço ficou de lembrança...rs...
 Meu orgasmo foi interno, foi da alma, foi dos meus devaneios. Foi lindo! Foi incrível! Foi sensacional!

Com carinho e safadeza,
Vanne Costa. 

quinta-feira, 19 de março de 2020

Vamos nos divertir um pouquinho?!

E aí meus transantes?!
Em tempos de trevas, precisamos nos divertir um pouquinho dentro da nossa querida quarentena. Mesmo que seja sozinhas ( os ) não é verdade? 
Então titia tá liberando pra vocês um delicioso conto erótico! Espero que gostem e curtam da maneira certa! 

ALERTA DE CONTO ERÓTICO!

UMA EXPERIÊNCIA INESQUECÍVEL. 

  Nos conhecemos a bastante tempo, ela morava próximo da minha casa.  Com o tempo passei a criar um certo interesse e notar a mulher deslumbrante que ela estava se tornando. Sabe aquela mulher de para o transito?! Era ela! Bunda empinada, pernas grossas e um decote de dar agua na boca. Eu casado, ela noiva, porém não vi problema nisso, eu queria ter a essência daquela mulher perto de mim de qualquer  jeito.
  Um belo dia, respirei fundo, criei coragem e com muito bom humor a convidei para bater um papo na praça perto de casa mesmo. Conversamos sobre muitas coisas, rimos bastante. Ela estava linda e o seu perfume era inesquecível. Sem perceber segurei lentamente pela cintura dela e a beijei, pude sentir aquele corpo quente colado no meu, enquanto a beijava podia sentir seu coração acelerado e sua respiração ofegante. Ela parou um pouco tímida disse que gostaria de ir pra casa, sem tentar argumentar, disse que a levaria. Subimos na moto e fomos embora. Confesso que fui pra casa pensando naquela mulher e o quanto eu queria tê-la pra mim nem que fosse por algumas horas.
  O tempo foi passando e não nos vimos mais. Até que um belo dia resolvi visitar uma amiga e ela estava lá, linda, exibindo suas pernas grossas, seu sorriso encantador a mostra e o seu perfume doce dominava o ar. Cada vez que ela cruzava e descruzava as pernas meu coração acelerava. E sem perder muito tempo a levei para o banheiro e a beijava loucamente segurando seus cabelos em direção da nuca. As mãos dela acariciavam o meu peitoral e sem perceber ela me arrancava loucos suspiros quando beijava o meu pescoço. E de uma forma muito involuntária minha mão carinhosamente invadia a sua calcinha pude sentir aquela buceta linda e quente completamente molhada para mim. Foi quando ela começou a acariciar o meu pau, não pensei duas vezes coloquei a calcinha dela de lado e comecei a chupa-lá, que buceta deliciosa, todo aquele mel na minha boca me enlouquecia, ela se contorcia e gemia de tanto prazer.  Mas para o nosso azar o noivo dela chegou, paramos na hora, ela saiu do banheiro e foi ao encontro dele. Eu me recompus e fui para casa.
  No dia seguinte não pensei duas vezes, fui atrás daquela mulher, fui determinado. Naquela época eu não era muito bom com as palavras, então de um jeito só meu, eu disse:
- Cara, você me deixa taradão, preciso ter você, nem que seja só por uma noite!
E para a minha felicidade ela subiu na garupa da moto. Entramos no motel, ela não queria penetração, de certa forma acho que foi o jeito que ela encontrou de se sentir menos culpada por estar ali. O pedido dela, não foi problema pra mim.  
  Deitamos na cama, nos beijamos muito, enquanto eu a beijava acariciava os seios dela, e ela acariciava levemente a cabeça do meu pau. Sem eu perceber ela pegou a minha mão e colocou na buceta dela. Ela estava completamente entregue, muito molhada, comecei a chupa-lá . Pedi para que ela ficasse de quatro e eu a fudia com a minha língua enquanto ela gemia alto. Foi quando ela gozou e enquanto ela gozava eu me lambuzava naquele mel que era só meu naquele momento. Um pouco mole e ofegante ela ajoelhou e caiu de boca no meu pau, enquanto ela chupava gostoso acariciava o meu saco. Olhava-me dentro dos olhos, e enquanto me chupava ela soltava uns leves gemidos que me deixava louco, então ela olhou pra mim e em uma curta pausa disse:
- Goza na minha boca, me da leite quente!
E novamente engoliu o meu pau como se fosse o seu doce preferido, gozei muito e ela fez questão de engolir até a ultima  gota. Que mulher maravilhosa, tomamos um banho e ela pediu para ir embora, fomos. Foi um dia maravilhoso que se repetiu depois.
  Naquele dia aprendi a dar valor as aventuras da vida, aprendi o que realmente era uma química diferente, foi pele, loucura, toque. Foi marcante! Foi inesquecível!

Com carinho e safadeza,
Vanne Costa.

terça-feira, 10 de março de 2020

As decepções de Ana Luiza.

  Desde pequena aprendi que a minha força vem de dentro. Que ela vem do sangue, que eu saí do útero da minha mãe com ela. A vida é cheia de altos e baixos, e com você meus caros leitores não é diferente, eu sei. 
Infelizmente nos envolvemos em certas " teias " sem saber. E aqui entre nós, sabemos que isso é uma PUTA DE UMA SACANAGEM.
Se reconectar consigo mesmo e se reconstruir não é nada fácil, ainda mais quando somos destruídos por uma segunda ou terceira pessoa. 
 
 No dia 26 de Fevereiro de 2020 Ana Luiza conheceu um rapaz incrível em um aplicativo de relacionamentos. Com dois dias de conversa o rapaz se desdobrou e foi até a casa da Ana Lu, e aquilo fez com que ela pudesse perceber o quanto ele estava interessado. Logo, Ana Lu ficou extremamente empolgada. Entrou no carro com o rapaz, tiveram conversas incríveis sobre o futuro, beijos, carinhos, mão lá, mão cá, sexo oral, orgasmos! Ana Lu dormiu leve e com um enorme sorriso no rosto e a esperança no coração de que havia encontrado o homem dos seus sonhos. Que a hora dela tinha chegado finalmente, Ana Lu seria mãe e teria a sua família. 
Dias depois, Ana Lu pede o rapaz que vá dormir com ela, e ele inventa diversas desculpas e acaba não indo, e isso a deixou devastada por que ali naquele momento ela sentiu que tinha algo de errado. Logo pela manhã ela acorda com a seguinte mensagem: " Bom dia meu anjo ". Com brilho nos olhos ela respondeu da mesma forma. 
E fez a seguinte pergunta: 
" Já tá no trabalho?"
E para a decepção de Ana Lu ela recebeu a seguinte mensagem:
" Não! Ele está com a ESPOSA dele, isso sim! "

  E mais uma vez o mundo dá Ana Lu caiu. Mais uma decepção amorosa na vida da nossa querida sonhadora. Mas Ana Lu escolheu não brigar por aquilo, ela escolheu seguir em frente. Assim como uma FÊNIX, das cinzas a vida novamente. 
Seja como Ana Lu, seja como uma FÊNIX. Siga! Continue! Acredite em você, por que os sonhos da Ana Lu são ter uma família, o seu pode ser diferente. Porém o que você e Ana Lu tem em comum são as decepções da vida. Então faça como ela, siga em frente e não desista de você, nem dos seus sonhos!
Brilhe!

Com carinho, 
Vanne Costa.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

Alerta de Dicas e Conto Erótico.

E aí meus transantes?!
Carnaval chegou! Estão prontos?
Segue umas dicas da titia:
1- Bebam muita água
2- Usem protetor solar
3- Beijem muito
4- Pode se apaixonar tá permitido
5- Transem! Essa é a época das aventuras
6- Usem a camisinhaaaaa, não esqueçam da porra da camisinha, muitas doenças estão aí expostas
E aproveitando esse clima de pura luxúria, essa delícia de carnaval vamos ao nosso primeiro conto erótico aqui no blog:

         Um sábado quente de carnaval

  Era um sábado de carnaval, dia de ver a minha Mangueira na Sapucaí. Me arrumei, uma saia longa azul com uma fenda até o meio da coxa e um top de onça da mesma cor. Pronta pra curtir o carnaval, muito glitter no rosto e uma make maravilhosa. 
  Assim que cheguei na Central do Brasil, avistei aquele preto de 1,90 com uma tatuagem muito sexy no peito. Nos  encaramos pelo caminho até a saída da estação. Que delícia de homem! Admirei enquanto eu pude, não sabia se iria vê-lo novamente. Seguimos caminho para a Marquês, afinal estava na hora de curtir o carnaval. 
  Chegamos no nosso setor, subimos e nos acomodamos. Minhas amigas estavam bem animadas assim como eu. Pra minha surpresa, quando olhei pro lado, lá estava o boy. O mesmo da estação. Tremi na hora, e comentei com as meninas. Fiquei encarando por um tempo, até que o perdi de vista. Alguns minutos depois, sinto uma mão na minha mão, virei irritada, e pra minha surpresa era ele. Seu nome era Léo, me deu um beijo no canto da boca que me deixou super arrepiada. Então rapidamente ele sussurrou no meu ouvido:
- Vamos pro banheiro, quero beijar tua boca.
Aceitei na mesma hora, até por que minhas pernas já tremiam de tanto tesão. Chegamos no banheiro, e deu um pouco de trabalho. Muito movimentado. Conseguimos desfarçadamente entrar  e nos trancar naquela cabine apertada. Ele beijava a minha boca, apertava a minha bunda e lambia o meu pescoço. O som das pessoas entrando e saindo me deixava com mais tesão. Não demorei muito, tirei a bermuda dele e fiquei admirando e acariciando aquele homem. Delicadamente eu deixava que ele fodesse a minha boca. Seus olhos cheios de prazer me encantavam. Então ele me colocou de pé novamente, e me dedilhava enquanto me beijava, eu enlouquecia de tanto prazer. E ali mesmo, naquele banheiro, me penetrou. E tivemos um orgasmo muito intenso. Foi incrível e maravilhoso. Saímos do banheiro com muita cautela e ficamos juntos o resto da noite na arquibancada. Foi uma sensação única de puro desejo e fogo, em um sábado de carnaval.

Com carinho e muita safadeza,
Vanne Costa.



domingo, 26 de janeiro de 2020

Sacanagem Essa Parada de Desistir.

  E aí meus transantes? Hoje eu estava aqui sentada cuidando da minha beleza. E do nada me veio umas coisas bem loucas a mente. Por que desistimos e lamentamos? É estranho não sabermos lidar com as nossas próprias decisões. 
  Por que lamentamos tanto? Sabe, eu já lamentei demais a vida. Já chorei demais, e na maioria das vezes por coisas que eu nunca tive coragem de dizer. Por muitos não's que eu gostaria de ter dito nos lugares dos sim's. Me lamentei por não saber ter voz, por não valorizar a minha vez e por nunca ter brigado por ela. Quantas vezes fui fortemente ofendida por ser gorda, mulher e negra? Diversas! Sempre me calei, por puro medo e vergonha. Acreditem, deixei de dançar por que me disseram que dança não é para gordos. Sim! Eu desisti de dançar. Me lamentei muito por isso, e sempre com muita tristeza no coração. Conheci pessoas que eu simplesmente deixei que fizessem eu me encaixar no mundo delas. Desisti de mim e da minha personalidade, e mais uma vez me lamentei. 
  A verdade é que eu me lamentei por muito tempo por atitudes que eu mesma deveria ter tomado. Mas por puro medo do que as pessoas iriam dizer ou pensar sobre mim não tomei. Sim! Eu devia ter gritado, eu devia ter dito, devia ter dançado mais. Porém não foi o que aconteceu. Mas passou! Eu amadureci, continuo aprendendo. Se eu tiver que gritar eu grito! Se eu tiver que brigar eu brigo! Se eu tiver que ser sozinha, serei! 
Aprendi da pior forma que se tem alguém que não pode desistir da minha felicidade, sou eu mesma. Então desejo que você caro leitor, não desista de você mesmo. Dias ruins sempre irão existir, pessoas para te moldar do jeito delas fazem parte da nossa rotina. Mas a cabe a você, não desistir do que você quer, não desistir da sua essência. Isso aqui não é um texto de auto ajuda e sim palavras de alguém que só lamentava e não fazia nada para mudar. Então meu caro, minha cara, se você é do time que só lamenta, que tal trocar de lado? Te garanto que o lado de quem sabe o que quer e não tem medo de viver é muito melhor, e tem cerveja. 
Que tal ignorar o mundo, tomar umas doses, comer uns chocolates e ser feliz do seu jeito? O resto que se foda! Pare de lamentar e viva! Não desista de você. Eu sei que essa frase é bem clichê e rola muito nos botecos da vida, mas você e eu sabemos que não tem mais verídica. ;)



Com carinho e doses de tequila...
Vanne Costa.

domingo, 19 de janeiro de 2020

A imensa sacanagem de se sentir só.

  Já parou pra pensar que é uma puta  sacanagem se sentir sozinho? O quanto é foda você querer uma companhia as vezes e simplesmente não tem nenhuma? Não é nada fácil, não é verdade? Principalmente quando a gente quer transar, aí é tenso. 
  A solidão é uma prisão pessoal que infelizmente existe. As vezes amiga, as vezes inimiga. Quem nunca teve um " momento na bad "? A solidão é a principal sensação causadora desses momentos. Quando amiga é ela que nos permiti ter momentos só nossos, e esses momentos são incríveis quando bem aproveitados. Quando inimiga, trás consigo o tédio intenso e a tristeza profunda. Que na maioria das vezes nos desperta lágrimas e saudades de momentos que tivemos, seja com um ex amor ou com familiar/amigo distante. E ambos momentos não sabemos ser gratos.
   A solidão faz parte do que somos, por que assim como a decepção, ela também é professora. Cabe a nós sabermos ser gratos a cada momento que ela nos traz. É muito importante termos o nosso tempo e saber aproveita-lo. Sabermos como vamos usá-lo com nós mesmos. Sair, rir, meditar, ler... Esse é o tipo de coisa que nos permiti conhecer ainda mais o nosso interior. Descobrir o quanto o amor que temos por nós mesmos é incrível e maravilhoso. 
Temos a sagrada obrigação de reconhecer que estamos mal quando a solidão bate na nossa cara. Entender que ser sozinho e que sentir saudade é normal, e tá tudo bem! Isso não nos torna pessoas infelizes, não é o fim do mundo!  Mas nos torna gratos a boas memórias. Ninguém é eterno na nossa vida, da mesmo forma que nós também não somos eternos na vida de ninguém.  Já dizia Meredith Grey: " O carrossel nunca para de girar." E a solidão faz parte desse carrossel, assim como o amor. 
Tá se sentindo sozinho ou sozinha? Não se sinta mal por isso, se sinta grato e continue!

Com carinho...
Vanne Costa.

terça-feira, 7 de janeiro de 2020

2020 chegou!

  E aí meus transantes, beleza? 
Bem vindos ao meu, ou melhor dizendo, ao nosso 2020! É um enorme prazer ter vocês aqui comigo mais um ano. O fim de 2019 foi um momento que me trouxe muitas reflexões. Então resolvi dividir esses pensamentos com vocês.
  Já parou para pensar a quantidade de vezes que você deixou a sua felicidade na mão dos outros? Já reparou que as vezes isso acontece sem você perceber? 
Infelizmente as vezes damos uma enorme importância a uma opinião que só nos fere, mas vem desfarçada de " críticas construtivas " ou com um " eu me importo com você". E no final acabamos parando para analisar como podemos nos adequar ao gosto e as vontades daquela pessoa. Quando digo isso não me refiro apenas a relacionamentos amorosos, mas também a familiares e amigos. E quando paramos para fazer esse tipo de análise em nós mesmos só sentimos dor e sofrimento, por que não tem nada mais cruel do que você achar que deve mudar algo em você por alguém. As vezes permitimos que o nosso sub consciente nos engane, dizendo que para sermos felizes precisamos agradar a todos. A grande verdade é que no fim isso nunca dá certo! Por mais que mostramos os maiores dos nossos esforços nada é suficiente para quem nos exige perfeição. 
  Então desejo que em 2020 você entenda que a sua felicidade depende somente de você. Não importa se você está desagradando alguém, quem realmente gosta de você vai te apoiar seja como for. Mas se você não tiver esse apoio, se apoie você mesmo. E seja feliz! Só seja feliz!

Feliz 2020!

Com amor,
Vanne Costa.